Como Viver Eternamente

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Ways to Live Forever
Sally Nicholls

Tradução: Euda Lídia Luther Cavalcante
ISBN:9788561501006
Ano:2014
Páginas:232

Sinopse
Sam ama fatos. Ele é curioso sobre óvnis, filmes de terror, fantasmas, ciências e como é beijar uma garota. Como ele tem leucemia, ele quer saber fatos sobre a morte. Sam precisa de respostas das perguntas que ninguém quer responder. ”Como Viver Eternamente”, é o primeiro romance de uma extraordinária e talentosa jovem autora. Engraçado e honesto, este é um livro poderoso e comovente, que você não pode deixar de ler. A autora tem apenas 23 anos e embora seja seu primeiro livro, ele está sendo lançado em 19 países, dirigido a crianças, adolescentes e adultos. 

Resenha por Ver Sobreira

Então, a primeira coisa a dizer sobre Como Viver Eternamente é que ele não é uma "cópia" de A culpa é das estrelas, até porque é um relançamento. Os personagens tem sexo, idades e tipo de câncer diferentes, Sally Nicholls tinha 23 anos quando escreveu e hoje caminha para 31 anos. As perspectivas de um está muito longe da, do outro, ou seja,  Sam antecede Hazel.  Mas há uma pergunta que cremos paira sempre no ar: O que nos leva a ler livros da chamada "sick-lit"?, termo aliás um tanto quanto pejorativo, só por se tratar de romances que focam doenças como um dos protagonistas. Porque em parte é disso que se trata, por menos que se fale ela está lá como fio condutor da trama.


Sam tem 11 anos, está doente, tem leucemia e sabe que vai morrer. Ele adora fatos, coisas, filmes de terror e resolve fazer listas. Ele tem um amigo, Felix, que conheceu em uma das vezes que estava internado. Felix também está doente e ao que parece em um estado mais grave que Sam. Os dois se tornaram tão amigos que estudam juntos, em casa, fazem revezamento de casas. A professora deles, a sra. Willis incentiva-os a escrever e Sam decidi escrever um livro sobre ele, sua doença e as reações de sua família. Mesmo sob o protesto de Félix, que só dá ideias e escreve apenas uma linha do livro, ele segue. Porém um acontecimento previsto, mas não tão aceitável vai abalar profundamente Sam. Com isso seu pai que até então tentava negar as verdadeiras condições de saúde de Sam,  fará tudo que estiver ao seu alcance para tornar os dias do filho os melhores possíveis.

Passei o dia inteiro escrevendo sobre Felix, a aula e o recorde. Às vezes, que fiquei doente da última vez, eu fico cansado. Tudo o que quero fazer é me enrolar na cama e assistir filmes, ou ficar olhando um livro, ou escrever e escrever e não ter de pensar. (...)

Bem, esta é  uma história de ficção, não tão ficção assim. Particularmente nunca convivi ou tive contato com quem tem uma criança com câncer na família, mas penso que deva ser doloroso. O curioso dos livros que abordam estes temas é que sempre é pior para quem está ao redor da pessoa doente. Por isso, é possível pensar que é a pior parte mesmo. A irmã de Sam, Bella, parece ter  uma vaga noção dos acontecimentos, mas ao lermos percebemos que ela sabe o suficiente para sentir sua falta quando o momento chegar. Seu pai, Daniel tenta todo tempo mascarar a dor e não toca no assunto quando ele se torna sério demais, tenta tratar Sam com se tudo estivesse normal, e quando se dá conta de que o filho está morrendo não perde mais tempo e encara. E a mãe, bem,  esta é a sempre guerreira, mas que chora compulsivamente nos braços do filho e às vezes quer brigar com Deus.


O curioso na narrativa de Sally Nicholls é que decididamente ela não quer nos fazer chorar e talvez sim compreender a dimensão da doença na visão de uma criança de 11 anos. É muito diferente do adulto, horas ela se revolta e vez por outras ela pensa que é isso mesmo, a vida é assim. Algumas pessoas não deveriam morrer cedo, porém morrem. Sam fez onze listas durante o período que escreveu seu livro e na décima primeira lista tem duas passagens interessantes:
Acho que um enterro tem de ser divertido. As pessoas não devem usar preto. Contem só as histórias engraçadas, e não as tristes sobre mim.
Podem ficar tristes, mas não é permitido ficarem tristes demais. Se ficarem tristes toda vez que pensarem em mim, então como vão poder se lembrar de mim ?

É isso. Recomendado.


Cotação:



Verônica Sobreira - Formada em Letras, especializando-me em Crítica Literária. Nunca pensei em ser escritora, e sim em ser "expert" em escrita. Amo ler desde sempre, leio de tudo um pouco, porém adoro a literatura de ficção sobre anjos. Consigo ler mais de dois livros ao mesmo tempo. O blog além de divertimento, é a extensão do meu trabalho que levo muito a sério - Administradora do Blog


11 comentários :

  1. Oi Ver, eu não curto muito este estilo, mas gostei muito deste livro. Me emocionei, chorei e por que não até tirei algumas lições durante sua leitura.
    É um livro emocionante e muito bom de ler.
    Eu li no ano passado, mas ainda guardo na memória muito da história.
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  2. Eu li "A Culpa é das Estrelas" e não gostei, porque achei o livro muito carregado de ironias. Todos os personagens eram irônicos, e os adolescentes principais era super metidos a inteligentes, rs... Mas acho que eu vou gostar de "Como Viver Eternamente". Eu já havia reparado nele, sem sequer ler a sinopse, e o conjunto capa + titulo me interessou.
    Bom, eu leio livros desse gênero (ou dramas em geral) porque sou curiosa. Gosto de conhecer uma determinada situação que alguém possa estar vivendo. Já fiz trabalho voluntario com crianças portadoras de HIV, com câncer, e sempre que eu conversava com elas queria ter a mesma visão, ter a mesma cabeça, para falar o que elas precisavam. Livros assim, no meu caso, ajudam a expandir a visão sobre o problema do outro, até mesmo correndo o risco de sentir e chorar um pouco.

    Gostei da resenha. O livro parece ser simples e tocante. Já vou adicionar a minha lista de desejados.

    ResponderExcluir
  3. Oieeeee

    Muito curiosa para ler esse livro, e não, não pensei que ele fosse tipo ACEDE, mas acho que aproveitaram o Buuuummm de ACEDE para divulgar e propagar todos os livros que falam e que tenham personagens crianças ou adolescentes com câncer.
    Li ACEDE e não achei um livro perfeito, mas é interessante e apesar de considerar o tema triste não derramei lágrimas.... espero poder conferir COMO VIVER ETERNAMENTE.

    xoxo
    Mila F.
    @camila_marcia
    De Livro em Livro
    Devaneios Fugazes

    ResponderExcluir
  4. Oi, Verônica
    Adorei a sua resenha. Este livro deve ser muito emocionante. É muito triste ver uma criança doente. A capa desse livro é muito delicado. Com certeza, quero ler.

    ResponderExcluir
  5. Nossa, deve ser um livro bem triste, mas ao mesmo tempo, uma história interessante e que nos faz refletir!
    Fiquei com muita vontade de lê-lo, de verdade.
    Adorei sua resenha!

    Beijos invernode1996.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Esse livro deve ser muito bom. Gosto de livros que eu possa tirar lições.
    Não gostei muito da capa.
    Quem sabe eu leia esse livro.
    Beijinhos

    https://www.facebook.com/suelen.fernandes.1426

    ResponderExcluir
  7. Adorei a resenha, achei a capa muito linda!! O livro me parece bem interessante, mas não sei se leria, porque provavelmente passaria toda a leitura chorando, mas gostei da dica.

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  8. Oi adorei a resenha , quro ter oportunidade pra ler o livro , ele me parece bem interessante , apesar de eu ter chorado lendo A culpa é das estrelas , ele me fez refletir bastante ,me fez ver um pouco o lado de pessoas com cânçer , qu pessoas com cânçer tambem podem ser felizes e eu completamente amei aquele livro , e me parece que vou gostar bastante deste livro , quero muito ler-o !

    ResponderExcluir
  9. Eu vi esse livro no face da editora e fiquei interessada, pois achei a capa maravilhosa, no entanto, eu ainda não tinha lido nada sobre ele, nem ao menos a sinopse, então não sabia qual era o tema. Eu adorei a sua resenha, pois ela me passou todas as informações que eu precisava saber. Eu estou interessada demais nesse livro, pois li ACEDE e amei, o tema é lindo e muito emocionante, eu chorei e ri durante a leitura toda, foi um livro maravilhoso para mim, embora muitos critiquem, ele me ensinou várias coisas.
    Por o tema ser o mesmo de ACEDE, eu me interessei mais ainda, mas só pelo que eu li da sua resenha, dá para perceber que a história não é igual, apesar de ter como protagonista alguém com câncer. Enfim, essa resenha também ficou ótima, eu adorei ela também e agora quero muito conhecer a história do pequeno Sam.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  10. Verônica, eu li esse livro uma vez, tem muito tempo. Agora, com a nova edição, vou ler novamente. Também o recebi da editora, chegou em casa hoje. Começarei a ler.
    A primeira coisa que se pensa é se tem ligação com o livro A culpa é das estrelas, né? Eu achei esse livro fraco, esperava mais e as pessoas falam tão bem do livro.
    Quanto a Como viver eternamente, a história parece mais como você falou, não uma forma de te fazer chorar, mas de te fazer entender como é possível viver com uma doença e, aliás, viver feliz, como ele vive.
    Adorei tua resenha.
    M&N | Desbrava(dores) de livros

    ResponderExcluir
  11. Gostei muito da resenha. E, juro, não pensei em A Culpa é das Estrelas. Até porque, eu sabia que esse livro é antigo.
    Bem, eu achei bem interessante a premissa do livro. Gosto de livros narrados sobre a perspectiva infantil. Espero que esse tenha uma escrita agradável.

    ResponderExcluir

A Tribo Participa

Get your own free Blogoversary button!

PUBLICIDADE


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Tribo Apoia

Top Comentaristas

Widget by: Code Box

Clique