Proteja-me

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Shelter me
Juliette Fay
Editora: Novo Conceito

Tradução: Marcos Maffei Jordan
ISBN: 9788581632209
Ano: 2013
Páginas: 448


Sinopse
 Porque nos tornamos tão distantes quando mais precisamos de carinho? - Juliette Fay

Quatro meses após a morte do marido, JanieLaMarche continua tomada pela dor e pela raiva. Seu luto é interrompido, no entanto, pela chegada inesperada de um construtor com um contrato em mãos para a obra de uma varanda em sua casa. Surpresa, Janie descobre que a varanda era para ser um presente de seu marido — tornando-se, agora, seu último agrado para ela.

Conforme Janie permite, relutantemente, que a construção comece, ela se apega aos assuntos paralelos à sua tristeza: cuidando de seus dois filhos de forma violentamente protetora, ignorando amigos e família e se afundando em um sentimento de ira do qual não consegue se livrar. Mesmo assim, o isolamento autoimposto de Janie é quebrado por um grupo de intervenções inconvenientes: sua tia faladeira e possessiva, sua vizinha mandona, seu primo fofinho e até Tug, o empreiteiro.

Quando a varanda vai tomando forma, Janie descobre que o território desconhecido do futuro fica melhor com a ajuda dos outros. Até daqueles com os quais menos esperamos contar.


Impressão por Gabriela Taranto


Proteja-me conta a história de Janie, que perdeu o marido, Robby, em um acidente e ainda está inconformada. Com isso evita que qualquer pessoa se aproxime dela, ela tem dois filhos: Dylan e Carly. Sua vida começa a mudar quando um empreiteiro, Tug Malinowski, aparece e a avisa que vai começar a obra da varanda. Janie se assusta, pois essa obra foi uma surpresa que Robby havia planejado antes de morrer. E, é daí em diante que ela começa a enxergar de novo quem é, as pessoas que a rodeia e aos poucos se interessa pela vida novamente e começa a seguir em frente.


Sendo bem franca, achei muito bonita a narração do começo da vida de Janie após a perda. Algumas atitudes bruscas e grosseiras dela, são compreensíveis por conta de sua dor, e me levou a pensar que não sei como reagiria, se estivesse no lugar dela. Porém a maior parte da leitura foi bastante cansativa pra mim. Achei a narrativa bem vaga, sem grandes emoções e por se tratar de uma história curta, foi totalmente desnecessário o uso de tantas páginas. A história se arrasta em vários momentos, o que me fez querer pular diversas páginas.A narrativa também não conta com tanto drama, quanto esperamos assim que pegamos no livro e lemos sua sinopse. O que é uma pena.

Não foi um livro que me agradou, demorei mais que o normal para concluir a história. Não sei se o indicaria, mas creio que quem tenha passado pela mesma situção se interesse em lê-lo.

Bjs, Gabs



2 comentários :

  1. Oi Gabi, não gosto muito de livros cansativos, narrativa arrastada e se esse livro te fez pular páginas eu não sei se leria.. Acho que não, provável que eu abandone.. Porém adorei ler sua resenha, eu ainda não tinha lido nenhuma..

    beijos mila
    http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Eu também não gosto muito de livros tristes e se for superficial então nem pensar....
    Adorei a resenha Gabi , clara , objetiva e sincera.

    Bjssd

    Bianca

    www.apaixonadasporlivros.com.br

    ResponderExcluir

A Tribo Participa

Get your own free Blogoversary button!

PUBLICIDADE


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Tribo Apoia

Top Comentaristas

Widget by: Code Box

Clique