Aportes Literários - Intertextualidade

quinta-feira, 16 de maio de 2013



Você sabe o que é Intertextualidade? 

Você já ouviu várias vezes que nada se cria tudo se copia. É, se você ver por este lado nos limites literários é a intertextualidade responsável por esta máxima.

Intertextualidade é a capacidade ou faculdade que um texto tem de dialogar com outros. Vejam não trata-se de copiar um texto e sim de dialogar, basear-se na ideia do outro. Na literatura sempre houve e sempre haverá este aporte literário, pois os escritores tende a seguir tendências e fora o fato de se inspirarem nesse ou naquele clássico, em seu autor preferido,e entre outras coisas há autores que até colocam em seus livros personagens baseados ou o próprio personagem em outra formatação, mas que sempre lembre essa ou aquela obra. 

Ultimamente a que chamamos literatura de consumo, essa literatura nossa de cada dia, que nos diverte, nos fascina, nos leva até a catarse, tem utilizado-se e muito da intertextualidade para construir novos textos. A partir desta constatação percebemos que muitas pessoas acabam procurando o texto citado dentro do texto para entender melhor as construções, a opção literária de seu autor preferido. Às vezes uma mínima referência a um texto clássico, faz com que o leitor queira conhecer a origem deste.

Esta semana estava lendo um livro - Entre o Agora e o Nunca - e por isso tive a ideia deste post, pois ele me lembrou de outros livros que li de um ano para cá e venho percebendo constantemente e cada vez mais a presença da intertextualidade, porquê todo texto é, e sempre será influenciado por outros.

No livro em questão um dos protagonistas, Andrew, cita uma das histórias mais antiga do mundo, uma história de amor linda, porém triste -Orfeu e Eurídice -. Andrew adora música e sua inspiração vem de Orfeu. Na Grécia Antiga, Orfeu era filho de uma das Musas e por isso quando ele tocava sua harpa não havia um só ser vivo que não parasse para ouvi-lo. O grande amor dele foi Eurídice, uma ninfa, eles se apaixonaram perdidamente, porém  ela é picada por uma víbora no dia do casamento e morre. Orfeu desce até o inferno para resgatá-la e consegue seu intento, com uma condição: a de que quando a alma de Eurídice o acompanhe, que ele jamais, jamais olhe para trás para ver se ela está lá. Mas Orfeu não resisti e com isso a alma de Eurídice se desvanece. Qual é a moral? porquê há, já que os mitos gregos foram criados com o intuito de explicar o mundo e o ser. Orfeu não acreditou na força desse amor, que poderia superar barreiras, entre outras coisas. No livro Entre o Agora e o Nunca, a situação dos personagens giram em torno disso.

Nesse caminho podemos citar outros, por exemplo, O Inferno de Gabriel, todas as referências dos protagonistas baseiam-se na Divina Comédia de Dante Alighieri, principalmente em_ O Inferno. A Divina Comédia não é um livro fácil de se ler, mas é um universo riquíssimo e muito interessante. É a história de amor de Dante e Beatriz. Dante se crê impuro, para ela, mas acredita que só o amor dela pode redimi-lo. É uma narrativa complexa e bastante paradoxal, que termina de uma forma um tanto quanto trágica. Em O Inferno de Gabriel o gancho que sustenta a narrativa são as comparações e a diluição através de uma história mais simples da obra de Dante. 




Predestinados, um livro lançado ano passado é outro totalmente focado em mais um mito da Antiga Grécia. Neste nos reconta a história dos amantes Helena e Páris, e todo o conflito que se precipitou pela opção de ambos. A partir desta história, a autora Josephine Angelini criou uma maldição que irá acompanhar gerações de duas famílias. Em Predestinados Helen é uma jovem de 16 anos que sempre se sentiu diferente dos outros. Por mais que ela não queira, sempre acaba chamando a atenção das pessoas. Agora chegou à escola um novo garoto, seu nome: Lucas Delos, apesar de ser o garoto mais lindo que Helen já viu e o primeiro por quem ela se sente verdadeiramente atrai, há um paradoxo, pois ela
tem uma vontade incontrolável de matá-lo,  é como se as Fúrias houvessem se apossado dela e sussurrassem a todo instante que Helen tem que matá-lo.
Neste livro, Helen  e Lucas que recebeu este nome para tentar burlar a maldição não resistiram a paixão com foi com seus predecessores e pode imaginar o que acontece.







Se pararmos para analisar tudo que lemos pode ter certeza que vamos achar muito mais histórias. Porquê como disse acima, não trata-se de copiar uma história e sim de recriá-la, inserir novos elementos, porém  que se remeta ao original. É interessante ver os autores escrevendo assim, pois nos transportam a outros universos e nos instiga a descobrir, mais, e mais histórias.

9 comentários :

  1. Eu acho essa nova onda dos livros que apostam na intertextualidade muito legal porque acaba incentivando as pessoas a lerem mais livros. Os clássicos são tirados das prateleiras e lidos com uma atenção especial, porque buscamos encontrar o que o autor achou e fez do seu livro um sucesso. Acho muito bacana...

    ResponderExcluir
  2. Tem Abandono também, da Meg Cabot, que é baseado no mito de Perséfone. Aliás, estou ansiosa para ler hehehe
    Não sabia que Entre o Agora e o nunca era baseado em outra história tb! Vou ler com outros olhos agora!

    Bjks

    ResponderExcluir
  3. Texto super interessante Veronica. Eu também acho muito legal que a intertextualidade, esteja sendo tão usada hoje em dia, pois assim livros que já estavam a muito esquecidos, ficam atuais novamente e acabam despertando a curiosidade dos leitores.
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  4. Nossa, mais que palavra mais complicada...
    Sei não, mais vou saber agora hehe

    Legal Vê, adorei saber mais sobre Intertextualidade, e eu tenho predestinados, pelo que vc falou ele parece ser ótimo, vc já leu?
    O primeiro vc já sabe que é super desejado..


    beijos mila

    ResponderExcluir
  5. Adorei o post,Veronica. Esses seus post informativos são sempre uma a mais para conhecermos tudo que existe pelo universo literário. Eu ja tive essa sensação de "eu já li isso em algum lugar", mas nunca imaginei que isso tinha nome: Intertextualidade. Adorei sabe. bju
    Eykler

    ResponderExcluir
  6. Adorei seu post Ver,diferente e mega interessante...gostei muito de conhecer os exemplos de intertextualidade,vou ler esses livros com outros olhos.

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Não sabia o que era. Foi muito bom vim aqui
    e aprender um pouco. As vezes ficamos na duvida
    ou não sabemos. Gostei muito de seu post.
    bjs

    http://loveebookss.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

A Tribo Participa

Get your own free Blogoversary button!

PUBLICIDADE


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Tribo Apoia

Top Comentaristas

Widget by: Code Box

Clique