Crônicas do Vagão Feminino

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Oi, Índios
Como vocês sabem não sou escritora e nem pretendo ser, mas como em Maio começo a especialização em Literatura Brasileira, preciso treinar muuuuuuuito minha escrita, por isso tive ideia dessa nova, vamos dizer! coluna não, postagem. Toda quinta-feira, sempre à noite vou postar para vocês uma espécie de crônica, porque gente coisas muito engraçadas acontecem no vagão feminino.Confira e se gostarem comentem. Valeu!!!


50 Tons, Toda Sua,  as mulheres piram e os homens não respeitam o vagão feminino

Em 23 de março de 2006 a Câmara do Deputados do Estado do Rio de Janeiro sancionou uma lei "em prol" das mulheres, a Lei Ordinária Estadual instituído o vagão feminino, lei essa para ser cumprida pela Supervia e MetroRio. Bem, 7 anos se passaram e a lei continua a ser simplesmente ignorada, bastou o trem sair da estação principal e na próxima entra um homem no vagão, ainda que ele fique na porta, pois encara um monte de caras feias, essa lei  não é cumprida. A lei estabelece que um vagão devidamente identifica com a coloração rosa entre às 6:00 e 9:00  e 17:00 e 20:00 nos dias úteis, ou seja de segunda a sexta-feira deve ser EXCLUSIVO das mulheres. 

Gente, quem anda neste vagão sabe, as coisas mais bizarras acontecem nele, porque vamos combinar, eu sou mulher, mas mulher adora uma confusão, um barraco e uma discussão. Esta semana, em plena segunda-feira às 7 horas da manhã duas mulheres foram de Campo Grande, – é eu moro em Big Field – até a estação de Mangueira discutido, pasmem, sobre a utilidade deste vagão. Enquanto uma dizia que não via importância nenhum, que o que a Supervia devia fazer era melhorar os horários e manter banheiros, a outra levantava a bandeira da conquista. Dizendo que éramos privilegiadas, porquê não era em todos os países que tinha isso, e blá, blá, blá.

Bem, enquanto as duas discutiam, coloquei meu fone para ouvir Maroon 5 e comecei a observar uma coisa curiosa, no vagão feminino um grande número de mulheres leem – porquê conseguem ir sentadas né?  – e o mais engraçado é que esta semana pelo menos 5 estavam lendo o mesmo livro. Adivinhem qual?Cinquenta Tons de Cinza, outras duas estavam lendo Toda Sua e outras lendo, sempre lendo. Então aquela vontade de perguntar assim "Você está gostando do livro?" e outras surgiram por supuesto?. Sou leitora e blogueira, estudiosa de literatura e ai não teve jeito, acabei interrompendo a leitura dela. Ela se chama Marina* e estava lendo 50 Tons, mas o livro pessoas estava com a capa dobrada, ai vocês se perguntam?, como eu sabia que era 50 Tons?, eu a vi retirar da bolsa meio escondido, parecendo não querer que alguém visse o que ela estava lendo. Como mencionei, os homens não respeitam o vagão feminino, é, e alguns discutem mesmo por conta disso. Às vezes ouço alguns comentarem, "não sei o que mulher tanto lê nesses livros, elas não desgrudam dessas porcarias." 

Mas voltada a Marina que estava lendo 50 Tons de Cinza com o livro dobrado, em uma conversa rápida descobri que ela é cristã e que houve um pequeno alvoroço na igreja dela por conta desse livro. A pastora proibiu que lessem, uma das irmãs como ela mencionou pegou o livro de alguém e começou a ler e ai passou a emprestar, no final umas vinte mulheres tinham lido o livro e bem ...o resto nós sabemos né? Passado o alvoroço, ela estava na Carioca e passou na feira de livro e o dito cujo estava em promoção, então ela disse que não resistiu, mesmo sabendo que a pastora tinha proibido, comprou, já está na metade e quer ler o segundo. O motivo do livro dobrado é que às vezes ela encontra uma irmã da igreja no trem, vejam que coisa engraçada.

Voltando as que estavam discutindo. A que levantou a bandeira da conquista feminina se calou, não foi páreo para outra que sustentou todos os argumentos possíveis do porquê dessa lei ser uma fajutice e que ninguém nesse país respeita as leis mesmo. A Supervia, ela disse, tem é que: fazer banheiros decentes nas estações, colocar mais carros nos ramais, até porquê segundo ela se a mulher é "encoxada"– palavras dela –é por não se dar ao respeito mesmo, e que na falta de se dar o respeito e os homens não estarem nem ai, nosso corpo tem uma arma, uma boa cotovelada lá sempre resolve.

A  verdade é que não há respeito mesmo e uma coisa que lembrei, meu tio mais novo que regula idade comigo, tem pavor do vagão feminino, quando ele está na Central do Brasil, onde pega o trem todos os dias, ele  diz que nem olha lá para dentro, as mulheres dão medo, pode?

Bom gente espero que gostem, mas se não gostarem, tudo bem.

*Marina - nome fictício
Observação da lei: A Lei é para  resguardar a dignidade da pessoa humana, evitando qualquer possibilidade de assédio sexual, costumeiro nos transportes públicos desta natureza com a superlotação.

10 comentários :

  1. Adorei o post,imagino as histórias para contar de todos os papos que ouvimos em ambientes como esse.... Sempre tem as prós e as contra tudo e todos,acho o vagão uma conquista,mas nem todas pensam assim né???

    E quanto a Cinquenta tons,não tem como deixar uma pessoa mais doida para ler uma coisa como esses livros quando você os proibe ... adorei a crônica...

    bjsss

    Bianca

    http://www.apaixonadasporlivros.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Verônica adorei seu post. Ler 50 Tons escondido?!?!?!?!?! Enquanto duas discutiam o direito que as mulheres conquistaram com a lei que lhes possibilita um vagão exclusivo, e convenhamos que não deixa de ser uma conquista. A outra lê 50 tons escondido... São as incoerências que nos são impostas, ou nós mesmo nos impomos. Temos sim o nossos direitos, seja ele de ir e vir em segurança, sem ninguém para "encoxar", ou ler o livro que escolhemos. Mas em fim, eu amei ler o que você escreveu. Esperando pela próxima quinta já. bjs
    Eykler

    www.aghridoce.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Menina, você precisa, agora, de andar de metrô... Poderá escrever um livro somente de cronicas. Tenho pelo menos umas cinco para contar!!!

    ResponderExcluir
  4. Amei tb ^^
    Vc escreve muito bem... eu acho que não teria problema em ler 50 tons e mostrar por aí..
    Mais caramba aprendi muita coisa lento esse post..
    Beijos mila

    ResponderExcluir
  5. Mandou bem Ve, acho um direito conquistado das mulheres, pois muitas são praticamente abusadas nos vagões por alguns animais que não tem capacidade de arrumar uma mulher e se aproveitam do "enlatamento" nos vagões para abusar das mulheres que ali estão, acho super válida a lei d vagão feminino e deveria ser em tempo integral na minha opinião, sucesso Veeee

    ResponderExcluir
  6. Aff, eu fico fula da vida com isso!
    Como alguém pode PROIBIR que façamos qualquer coisa???
    Não quero entrar em polêmica de religião, mas algumas igrejas são fundamentalistas demais!

    Bjks

    ResponderExcluir
  7. Adorei!!1
    Local onde existe muitas mulheres reunidas e garantia de boas histórias.
    Vou esperar ansiosa pela próxima.
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Parabéns pima, adorei a crônica!
    Doida para ler a próxima :)

    ResponderExcluir
  9. Veronica, adorei a crônica, e a ideia de fazer estas postagens são ótimas.
    Vemos tantos absurdos e tanta coisa louca em nosso dia a dia, que com certeza você terá muitas histórias para contar...
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  10. Com relação ao assunto do vagão, acho que foi importante mesmo para a mulherada, porque os homens (Alguns deles, é claro) não respeitam as mulheres que ali estão, e fazem barbaridades, como se masturbar e molestar, sem ver nenhuma medida ser tomada. E diz para o seu tio que é para ter medo da mulherada mesmo... Elas estão atacando... kkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir

A Tribo Participa

Get your own free Blogoversary button!

PUBLICIDADE


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Tribo Apoia

Top Comentaristas

Widget by: Code Box

Clique