Puros

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Pure
Julianna Baggott
Editora Intrínseca

Tradução: Flávia Souto Maior
ISBN: 9788580572322
Ano: 2012
Páginas: 366


Sinopse
Pressia pouco se lembra das Explosões ou de sua vida no Antes. Deitada no armário de dormir, nos fundos de uma antiga barbearia em ruínas onde se esconde com o avô, ela pensa em tudo o que foi perdido – como um mundo com parques incríveis, cinemas, festas de aniversário, pais e mães foram reduzido a somente cinzas e poeira, cicatrizes, queimaduras, corpos mutilados e fundidos. Agora, em uma época em que todos os jovens são obrigados a se entregar às milícias para, com sorte, serem treinados ou, se tiverem azar, abatidos, Pressia não pode mais fingir que ainda é uma criança. Sua única saída é fugir.

Houve, porém, quem escapasse ileso do apocalipse. Esses são os Puros, mantidos a salvo das cinzas pelo Domo, que protege seus corpos saudáveis e superiores. Partridge é um desses privilegiados, mas não se sente assim. Filho de um dos homens mais influentes do Domo, ele, assim como Pressia, pensa nas perdas. Talvez porque sua própria família tenha se desfeito: o pai é emocionalmente distante, o irmão cometeu suicídio e a mãe não conseguiu chegar ao abrigo do Domo. Ou talvez seja a claustrofobia, a sensação de que o Domo se transformou em uma prisão de regras extremamente rígidas. Quando uma frase solta sem querer sugere que sua mãe ainda pode estar viva, ele arrisca tudo e resolve sair à sua procura.
É então que Pressia e Partridge se encontram, e este encontro pode despedaçar seu mundo mais uma vez.

Resenha por Ver Sobreira

(...) Sabemos que vocês estão aqui, nossos irmãos e irmãs. Um dia sairemos do Domo e nos juntaremos a vocês em paz. Por enquanto, observamos de longe, com benevolência (...)

Bem, estamos definitivamente na onda da ficção distópica. Alguns textos interessantes e outros nem tanto. O tema é farto e realmente pode render muitas  narrativas, já que criatividade para um autor parece algo "sem fim"– graças à Deus, rsrs...–. Às vezes não dá muito certo, mas por outra é trazido através da literatura assuntos tão polêmicos, que acabamos por conseguir mais de que esperávamos. Se por um lado é bom, pois sempre se soube que a literatura é feita para refletir o mundo, por outro terminamos saturados pelo tema, mas enfim.

Tudo que está na ficção  não surge do nada, toda referência vem daquilo que tomamos com um sentido do real. Há sem sombra de dúvidas, um algo de realidade em que está escrito. Este é o caso de Puros, trilogia pós-apocalíptica de mesmo nome da autora estadunidense Julianna Baggot. Quase sempre sou "pé atrás" com os primeiros livros de trilogias ou séries, mas este me surpreendeu. Ação do começo ao fim e uma história fascinante e muito mais próxima da realidade do que se pode imaginar.

O mundo desabou. Houve as Explosões, os EUA não atacaram primeiro, porém o planeta Terra inteiro virou um caos. Parecia que o sol havia explodido, tudo se tornou cinzas e fumaça. Isto foi há nove anos,– o Antes – Pressia lembra-se pouco ou quase nada daquele dia em que perdeu sua mãe e seu pai. Ela sabia onde estava, no aeroporto chegando da Disney, pelo menos foi isso que seu avó lhe contou; Partridge tinha oito anos e meio quando tudo aconteceu, mas ele diferentemente de Pressia, estava protegido no Domo. Ele não se recorda muito deste dia, sabe que sua mãe morreu  porque não chegou a tempo.


Ficção distópica? Sim, pois Puros nos traz um tema atual com conotações do passado. Pense na bomba atômica – em Hiroshima e Nagasaki –, mas pense em explosões por todo mundo com uma potência 100 vezes maior. Quando tudo explodiu as pessoas foram fundidas ao elemento que se encontrava mais próximo a elas. Os sobreviventes tornaram-se figuras grotescas, de todos os tipos, fundidas  ao ferro, ao asfalto, ao vidro,  a uma boneca, umas as outras como se  fossem siameses, ou ainda pior.

Pressia, é aquela menina que apesar do mundo caótico que vive tenta buscar esperança; já Partrigde sabe que há algo de muito errado no mundo perfeito do Domo e ele precisa saber o que é. Estes dois personagens  no começo da narrativa se sentem perdidos de alguma forma,  mas conforme a história avança e vamos percebendo que nada, absolutamente  nada é o que parece ser, se tornarão fortes  e se unirão para descobrir o que realmente aconteceu , ou está ainda acontecendo?

(...) O rosto dele é suave e claro,os olhos são de um cinza-pálido. E ela não consegue acreditar que está olhando um Puro - um Puro vivo de verdade (...)

A narrativa de Baggott é intensa, grotesca e envolvente. É difícil não tentar imaginar como ficaram estas pessoas, animais, coisas depois de receberem tanta radiação e ainda assim sobreviverem e viverem fundidas a algo. Porém há o sublime, encontramos delicadeza em uma história que não parece nos trazer nada de bom, a não ser tragédia; delicadeza esta que se revela através de Pressia, Lyda e Illia personagens femininas de  grande força.

Julianna Baggott, criou  uma série de personagens secundários interessantíssimos e  intrigantes. Cada um deles terá uma função distinta na trama e serão responsáveis por fazer de Puros uma história dinâmica, instigante e imperdível de ler. Teorias da Conspiração confirmadas, testes genéticos em seres humanos comprovados,  nanotecnologia, criação de uma elite que controlará o Novo Edén, entre outras histórias e  também  a vida e história de dois jovens que parecem se encontrar por acaso, encontramos em Puros.

Há uma moral muito válida nesta narrativa, nem sempre o grotesco é responsável pelo horror. Percebemos também uma influência de Mad Max e obviamente a mãe de todas as obras de ficção distópica Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley. Puros é uma narrativa desconcertante e inesquecível, pois te faz pensar: e se isso for verdade?

Conheça alguns personagens de Puros:

Pressia Belze- Uma Miserável, quando ocorreu as Explosões tinha apenas 7 anos, foi criada por seu avó paterno;
Partridge Willux-  Um Puro, no momento das Explosões estava protegido no Domo, é filho de Ellery Willux, um influente cientista do Domo;
Bradwell - Um Miserável, porém dado como morto.Tinha nove anos quando tudo aconteceu, viveu sozinho durante muito tempo. Agora é uma espécie de historiador do Antes, sabe muito mais do que diz e terá um interesse romântico por Pressia;
Lyda - Uma Pura, que parece frágil e inofensiva, é apaixonada por Partridge e terá uma função importantíssima no desfecho da narrativa;
El Capitán e Helmud - Tinham dez e oito anos respectivamente, quando ocorreram as Explosões. Helmud está fundido às costas de El Capitán.
Professor Glassings - Professor na Academia onde Partridge estuda, sabe tudo sobre história antiga, sobre o Antes e outros segredos;
E mais, as Mães, os Poeiras, os Feras, os Grupais, a OBR - um tipo de grupo paramilitar que quer combater e destruir o Domo, por tê-los abandonado à própria sorte. Não deixem de ler Puros. Recomendadíssimo.Veja abaixo uma visão do  mundo de Puros.


Crédito da imagem AQUI

38 comentários :

  1. Oi Veronica, nossa que resenha, eu não costumo ler livros com temáticas de distopias, são poucos os que gosto na verdade, e pelo que li da sua resenha fiquei em duvida se vou gostar sabe, então eu até leria, mais não agora...
    beijoss
    http://dailyofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Veronica!!! Amei essa resenha!! Podia sentir a tensão da narrativa através das suas palavras. fiquei bem curiosa para ler.
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Confesso que não entrei de cabeça na onda de distopias, talvez eu não tenha encontrado ainda uma que mexesse comigo, mas Puros parece muito interessante. Adorei essa ideia da segregação de parte da população, é uma proposta bem interessante a ser desenvolvida no livro. Ainda bem que, apesar de ser um primeiro livro, ele tem bastante ação.

    http://trouxesteachave.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  4. Aff! Não sabia que o livro seria tão legal!
    Adoro distopias... vai para a lista!

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Ainda não entrei de fato na onda das distopias, apesar de ter muita coisa boa por aí. O rei das distopias foi George Orwell, e confesso que fico meio ressabiada em ler esse mote em outros livros. Fico sempre comparando. Gostei de Starters e acho que vou gostar de Puros também. Na primeira oportunidade, vou comprar.

    ResponderExcluir
  6. gostei do livro viu, apesar de nao estar na minha lista de leituras acho q seria legal ler.

    ResponderExcluir
  7. Oi Vê, eu não curto muito livro de Distopias, e pra ser sincera, mesmo sua resenha sendo maravilhosa como sempre, não me empolguei pelo livro não... Quem sabe um dia?
    Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu adoro uma distopia!!!

    e depois de ler a sua resenha,acho que vou apostar na leitura!!!

    bjss

    Bianca

    www.apaixonadasporlivros.com.br

    ResponderExcluir
  9. Sabe que cá eu com a psicologia (não sei se já disse que sou psicóloga aqui rs) pensei o pq de tantos romances distópicos, e penso que seja o medo do futuro.
    Tanta gente falando de fim de mundo, de destruição da natureza, e eis que os autores sublimam e colocam tudo em seus livros...Acho que essa onda não tem fim, só não sei até qd os leitores vão se interessar neh...

    Boa Resenha Vê!

    Miquilis: Bruna Costenaro

    ResponderExcluir
  10. É curioso com esse tipo de tema está em moda. ainda não li nada então me interessei por esta história. Como sempre ótima resenha.

    ResponderExcluir
  11. Este tema está se tornando recorrente, por que será? Creio que ´seja um receio mais real do que da ficção. Quero ler, resenha ótima.

    ResponderExcluir
  12. otima resenha! nunca li nenhum livro desse tema mais confesso que me senti de certa forma atraida por esse livro...gostei tbm da descriçao que vc fez de alguns dos personagens,ja me sinto praticamente dentro da historia! rsrsrs
    quero muito ler puros!
    bjos =] @ silvacarliane
    15 de setembro de2012 09:10

    ResponderExcluir
  13. Gostei bastante do livro, acho que adorarei a leitura

    ResponderExcluir
  14. Apesar de estar mesmo uma onda de temas distópicos, ainda não enjoei não. Quero ler essa trilogia sim, pois me interessei muito pelo livro.

    ResponderExcluir
  15. Gente, quando lançou esse livro fiquei super curiosa para saber a história e tal, e me interessei, é do tipo que eu gosto. Com certeza leria :D

    ResponderExcluir
  16. Oie
    nossa q resenha maravilhosa, super bem feita
    fiquei morrendo de vontade de ler o livro.

    http://www.lostgirlygirl.com

    bjos

    ResponderExcluir
  17. Mais um do estilo distópico. Não me pareceu nada de novo, a criação de um mundo diferente, mas com alguma semelhança com o nosso mundo, um casal que se une pra mudar a sua realidade e blá, blá, blá. Apesar de tudo, gostaria de ler, quem sabe eu não me surpreenda....

    ResponderExcluir
  18. minina fiquei intrigada. além de não entender bem a questão distópica.

    ResponderExcluir
  19. Eu me apaixonei pela capa desse livro, depois que li a sinopse me encantou mais ainda. Agora que li sua resenha (é a primeira), decidi que tenho que ler.

    ResponderExcluir
  20. apesar de já ter lido bastante distopias, ainda não me cansei delas!! com certeza vou querer ler esta, principalmente agora depois de ler uma opinião tão positiva... a descrição dos personagens me deixou bastante ansiosa para conhecê-los... com certeza o livro já está na minha lista de futuras leituras.

    ResponderExcluir
  21. Não fui diretamente..hum..com a cara do livro quando o vi pela primeira vez. Achei simples. Mas através de resenhas conheci e vi do que se tratava melhor. Agora gostei e com certeza leria!

    ResponderExcluir
  22. Esse livro me conquistou já pela capa. Depois que li a sinopse, me apaixonei perdidamente.
    Todas as resenhas que já li sobre ele foram só elogios e essa não é exceção.
    Eu geralmente fico com pé atrás em segundos livros de séries. São os mais fracos pra mim.
    Parabéns pela resenha.

    Luiza Helena Vieira
    Obsession Valley

    ResponderExcluir
  23. Eu acho a proposta deste livro bem inteligente, e ao ler a mora citada na resenha, achei que não é só mais uma distopia.

    Bjos!

    Cida

    ResponderExcluir
  24. Não cheguei a ler o livro ainda, mas ele parece muito interessante. parabens pela resenha! espero ler o livro em breve. bjus

    ResponderExcluir
  25. Estou curiosa para ler esse livro!
    Parece ser bem interessante!

    ResponderExcluir
  26. Caramba, é incrível como os autores conseguem inovar um tema que já está tão batido... essa ideia das pessoas serem fundidas aos elementos é algo que eu nunca imaginaria, interessante, mas deve ser bem grotesco e dramático... Não tinha lido resenha desse livro ainda, a sua foi a primeira e já me deixou muuito curiosa pra ler! Espero que eu ganhe em algum sorteio, se não irei comprar mesmo!! rsrs
    Bjs!

    ResponderExcluir
  27. Adoro livros distópicos, só não entendo porque todas os livros que eu li se passa nos estados unidos, parece que esse livro tem um pouco ficção cientifica.

    ResponderExcluir
  28. Parece interessante... Não costumo ler livros "pós-apocalípticos", mas talvez eu tente esse.

    ResponderExcluir
  29. Ahhh muito legal! Estou louca pra ler esse livro. Quase o comprei ontem. Mas vai que eu ganho aqui né?! Rs

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  30. Super curiosa para ler o livro! Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  31. Ainda não tinha lido nenhuma resenha deste livro, o que me surpreendeu quando você esclarece a condição das pessoas nessa época após a bomba. Realmente horrível.
    Ele parece ser um livro muito bom, apenas a capa tinha chamado minha atenção, mais agora o texto também!
    Espero le-lo em breve!
    Parabéns pela resenha
    bjs

    www.leituradeouro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  32. Sinceramente ainda não consegui formar uma opiniao sobre esse livro. A historia parece ser interessante, mas não sei se vou gostar. Gostei muito dessa capa. Achei linda! Bjksss

    ResponderExcluir
  33. Ótima resenha!! muito interessante o livro!!
    *-*

    ResponderExcluir
  34. Admito, sou muito influenciável. Tô na onda das distopias com tudo - pelo menos, na vontade de ler. Pq ler mesmo só li estilhaça-me, dessa leva nova. Mas só a resenha de puros já me deixou tensa hahaha Só não sei se vou me apegar aos personagens... tudo muito misterioso pra eu formar opinião sem ler.

    ResponderExcluir
  35. se isso fosse verdade, jesus toma conta, gostei da expectativa do livro, parece bom, também adoro esse lado distópico de Puros. e pra minha leitura neste momento vai dar uma acelerada, espero ler o quanto antes.... resenha divina e super bem detalhada ^^

    ResponderExcluir
  36. Gosto do gênero distopia. Me faz sair um pouco da realidade e voar num mundo irreal. Puros me parece bem recomendado.

    ResponderExcluir
  37. adoro distopias e livros que tem ação durante toda a historia, por isso to muito ansiosa pra ler esse *-*
    Thamires Perrone (raffle)

    ResponderExcluir

A Tribo Participa

Get your own free Blogoversary button!

PUBLICIDADE


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Tribo Apoia

Top Comentaristas

Widget by: Code Box

Clique