Cruzando o Caminho do Sol

sexta-feira, 20 de abril de 2012

A Walk Across the Sun
Corban Addison
Editora Novo Conceito

Tradução: Mariângela Vidal Sampaio
ISBN: 9788581630090
Ano: 2012
Páginas: 448

Sinopse:

Sita e Ahalya são duas adolescentes de classe média alta que vivem tranquilamente junto de seus familiares, na Índia. Suas vidas tranquilas mudam completamente quando um tsunami destrói a costa leste de seu país, levando com suas ondas a vida dos pais e da avó das meninas. Sozinhas, elas tentam encontrar um modo de recomeçar a vida. Mas elas não devem confiar em qualquer um...

Abrangendo três continentes e duas culturas, Cruzando o Caminho do Sol nos leva a uma inesquecível jornada pelo submundo da escravidão moderna e para dentro dos cantos mais escuros e fortes do coração humano.

Resenha por Thales Ferreira

Será que o amor incondicional é capaz de mudar vidas?

O livro Cruzando o Caminho do Sol, do autor americano Corban Addison, é definitivamente um dos livros mais bem escritos que li durante este ano. O autor consegue prender o leitor a cada página. Eu não poderia falar que em algum momento durante a leitura do livro eu fiquei cansado ou até desmotivado. A narrativa é brilhante, principalmente por se tratar de um assunto tão profundo, complexo e triste como o mercado sexual - principalmente infantil. 

O foco principal está descrito na Índia, porém o autor desloca a narrativa para diversos lugares do mundo, no próprio Estados Unidos e França. O mercado sexual não se limita apenas a países como a Índia ou a outros países subdesenvolvidos, está presente e fortemente marcado em todos os lugares do mundo e movimenta uma quantidade inimaginável de capital ilícito.

''We’re taught in history class that slavery ended with the Civil War, when in reality there are more slaves alive in the world today than ever before. In fact, today there are 27 million slaves in the world. Two million children are exploited in the global sex trade. Trafficking in persons touches every nation on the globe and reaps $32 billion in profits worldwide each year." (Corban Addison)
"Nós aprendemos nas aulas de hitória que a escravidão terminou com a Guerra Civil, quando na realidade existem mais escravos vivendo no mundo de hoje como nunca. De fato, hoje existem 27 milhões de escravos no mundo. Dois milhões de crianças são exploradas na indústria do sexo global. O tráfico de pessoas atinge todas as nações do mundo e gera 32 bilhões em lucros a cada ano." (Corban Addison)

Cruzando o Caminho do Sol
aborda a história de duas irmãs, Ahalya - de 17 anos - e sua irmã mais nova Sita - de 15 anos -aproveitando seus anos de adolescência ao lado de uma família amorosa, presente e preocupada, em uma cidade costeira na Índia. Até que um dia toda essa felicidade desaparece, elas sofrem de uma terrível desventura, quando um terremoro gera um tsunami que devasta toda a região. O infortúnio leva consigo os pais das meninas e todos os familiares, não restando-lhes nada além do desespero e a falta de perspectiva. 

As meninas buscam uma maneira de chegarem até sua escola, que ficava em outra cidade, porém acabam pegando uma carona má intencionada e são vendidas para um bordel em Mumbai. Os próximos dias são terríveis e cada vez mais sentem medo pelo incerto futuro. Até serem vendidas mais uma vez e separadas. Sita encontra-se em um restaurante em Paris, trabalhando como escrava e sua irmã Ahalya está confinada em um bordel.

A narrativa de repente muda completamente de foco e passa para a vida de Thomas Clarke, um advogado em Washington DC que tem sofrido com uma série de perdas em sua vida pessoal e  em sua carreira. Ao viajar para visitar seus pais, ele presencia um rapto de crianças e sua cabeça fica completamente transtornada. Ele acaba tendo de ir para Mumbai e começa a trabalhar em uma ONG contra a exploração sexual,  logo o seu destino se cruza com o das meninas.

Cruzando o Caminho do Sol
expõe o leitor à situações realmente desumanas, mas completamente reais. O livro não pode ser considerado apenas como uma obra de ficção, sendo os acontecimento da narrativa a projeção da realidade para muitas meninas e meninos no mundo. O autor não escreve de maneira repulsiva ou então com um tom desafiador, o que encontramos são cenas de um alto teor de maldade e atos que fazem nós mesmos nos revoltarmos. Corban consegue muito bem passar este sentimento de inquietude e faz de maneira natural. O autor não se revolta, mas faz que o leitor se revolte. É bem pouco provável alguém terminar de ler entre livro com o mesmo pensamento de antes. Certamente será um vento de esclarecimento para várias pessoas que não possuíam conhecimento sobre o assunto (não de maneira tão detalhada e realista).

Vale também destacar que o livro não será apenas dados, com um texto informativo e descrições de maus tratos e abusos  sexuais. É um thriller muito bem construído, a vida das meninas irá se cruzar com a de Thomas Clarke de uma maneira tristemente magnífica, não somente aprofundando os acontecimentos na história, mas também estreitando laços com o leitor. Livro muito recomendado para leitores que buscam uma história densa e muito empolgante. Certamente ainda podemos esperar grandes obras deste autor. Vamos aguardar.




2 comentários :

  1. Eu estou na metade do livro e sinto que nao consigo parar de lee. Sensasioal. Super indico.

    ResponderExcluir

A Tribo Participa

Get your own free Blogoversary button!

PUBLICIDADE


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Tribo Apoia

Top Comentaristas

Widget by: Code Box

Clique