Literatura Mundial e Literatura em Língua Portuguesa

sexta-feira, 2 de março de 2012

Índios,

É com muito prazer que começarei uma nova série de postagens. Nessas postagens eu contarei um pouco sobre o trajeto da literatura mundial e a literatura em língua portuguesa: as épocas, os estilos literários, os textos escritos, as principais obras da época, os autores em destaque, curiosidades, etc.. Farei sempre intercalado, uma vez literatura mundial e outra vez literatura portuguesa, certo? O principal objetivo da Tribo do Livro é formar um mundo de leitores, mas não apenas aqueles que leem, mas também aqueles que respiram a literatura e sua história. A leitura é uma fonte inesgotável de conhecimento, de crítica, de vivências, ensinamentos, realidades, etc.. Cada cultura viveu e vive a literatura de uma determinada maneira e os textos que nos deixaram são de imensa importância, são fontes materiais do retrato da construção de nosso mundo.

Literatura Mundial (Post 01) - Literatura Antiga da Índia


Hoje começarei com a literatura antiga da Índia. Lá atrás, durante a antiguidade, no subcontinente hindu, a literatura experimentou uma série de gêneros e manifestações. A literatura aconteceu em forma da escrita sânscrito (datada de 2.500 a.C.), o antigo idioma do país e também é a língua mais antiga indo-europeia conhecida. 
  
Sânscrito é a língua erudita da Índia, a língua da História, da Religião, da Filosofia, bem como da Literatura e da Ciência clássica. Tudo que se possa conhecer sobre a Índia passa pelo Sânscrito.¹




Índia
Alfabeto em Sânscrito


A literatura antiga da Índia passou por perídos, são eles:

Perído védico: considerada a primeira fase da literatura sânscrita. O nome do período é originado da palavra veda, que tem como significado "conhecer" e também considerado como o "saber sagrado". Neste período veda, a literatura retratava basicamente os textos religiosos filosóficos (rezas, descrições de ritos, hinos, tratados filológicos, aforismos, sacrifícios, oferendas aos deuses, etc.), a compilação desses textos mais antigos é chamada de Rig-Veda. O Rig-Veda é uma coleção de mais de 1.000 hinos, que contêm a mitologia dos deuses hindus, e é considerado um dos fundamentos da religião hindu. Enquanto o Rig é o mais antigo dos Vedas, há três outros Vedas. Existe o Sama Veda, que é o "conhecimento de cânticos" ou uma série de hinos básicos recitados em sacrifícios. Há também o Veda Yajur ou "conhecimento dos ritos", que servem basicamente como um livro de ensinamentos sobre os sacrifícios. O último é o Veda Atharva, o menos valorizado, mas de importância para a medicina indiana. Neste hino do Atharva Veda observamos vários “medicamentos” que serão utilizados posteriormente pela clássica Medicina Indiana ou Ayurveda. Estes Vedas foram transmitidos oralmente por muitas gerações e depois passados para a escrita védica, uma forma primitiva de sânscrito.



O Rig Veda comentado por Jaydev Sharma

Período Clássico: Este período tem início no século V a.C. e apresenta uma gama de gêneros, são eles:

  • Poesia épica: as obras principais traduzem-se nos poemas épicos Ramayana e Mahabharata.  O Ramayana é composto por cerca de 24.000 versos e retrata os esforços do Rei Rama (herói e também uma forma humana do Deus Vishnu) para resgatar sua esposa (Shinta) que havia sido raptada pelo monarca dos demônios (Rahwana) que deseja se casar com Shinta. O poema é composto por lendas e noções de filosofia indiana, além de ser ainda muito popular por pregar o bom comportamento humano e privilegiar a devoção a Deus. 
 O Ramayana

Segue abaixo uma referência fornecida pela revista Super Interessante a respeito do Mahabharata: 

“A Grande História dos Bharatas”, como se traduz seu título, é o principal épico religioso da civilização indiana – e também o maior poema de todos os tempos, com cerca de 200 000 versos. Só para ter uma idéia, isso equivale a sete vezes a soma da Ilíada com a Odisséia, os dois épicos atribuídos ao poeta grego Homero que inauguraram a literatura ocidental. Em sânscrito, bharatas queria dizer originalmente “saqueadores”, termo que deu nome às tribos arianas que teriam ocupado a Índia em torno de 1700 a.C. (invasão hoje contestada por muitos historiadores). O livro só ganhou sua forma definitiva no século II d.C., mas acredita-se que a maioria dos versos foi compilada no século IV a.C. – apesar de serem bem mais antigos na tradição oral, como quase todos os textos religiosos. A coletânea é creditada ao sábio Vyasa, personagem mítico considerado o autor de outras escrituras sagradas do hinduísmo, como os Vedas e os Puranas.

O Mahabharata narra a guerra entre Pandavas e Karauvas – duas famílias com laços de parentesco muito próximos – pela posse de um reino no norte da Índia. Os momentos que antecedem o confronto final, conhecido como Batalha de Kurukshetra (cidade dessa região), compõem o trecho mais famoso do poema, conhecido como Baghavad Gita (“Canção do Divino Mestre”). É quando o príncipe Arjuna, em crise de consciência por estar combatendo amigos e familiares, cogita desistir da luta e entra em diálogo com o deus Krishna, que o convence que aquela guerra faz parte do destino do seu povo e não pode ser evitada. A ética do guerreiro é, aliás, uma questão central no livro, retratando uma época em que as batalhas entre os indianos seguiam regras surpreendentes nesse sentido: um soldado montado em um elefante, por exemplo, não podia atacar quem estivesse a pé. Da mesma maneira, um homem que estivesse fugindo ou tivesse perdido suas armas não podia ser preso, ferido ou morto.Os confrontos acabavam rigorosamente ao pôr-do-sol, pois à noite havia confraternizações entre os soldados de ambos os lados. Apesar disso, a Batalha de Kurukshetra teria sido uma sangrenta carnificina da qual, após 18 dias de conflito, teriam restado apenas cinco sobreviventes para perpetuar a dinastia dos Pandava.²
  • Teatro: O teatro indiano consistia basicamente na tradição dramática que se desenvolveu a partir do século II a.C. As obras, que alternam verso e prosa, língua erudita e popular, possuem uma infinidade de temas. Os títulos principais são: Shakuntala, de Kalidasa, e o chamado "Romeu e Julieta hindu", Malatimadhava, de Bhavabhuti (século VIII).
  •  Poesia lírica: o mais conhecido poeta hindu é Kalidasa (século IV-V). Ele foi autor de poemas como o Ritusamhara e o Meghaduta.
A Índia sempre acreditou na relação harmoniosa entre o homem e as forças da natureza e a importância de cada estação foi lindamente trazidos à luz pelo grande poeta Kalidasa na Ritu Samhaara, um poema escrito por ele. Ele pode ser chamado de "Medley of Seasons" ou "Garland of Seasons". O Ritusamharam foi dividido em seis capítulos principais, cada capítulo descrevendo vividamente, as estações da Índia. As seis estações que foram descritos por Kalidasa são Primavera, Verão, Monções, Outono, Frost e Winters. Este poema é muito menor quando comparado com seus outros trabalhos.³



  • Narrativa: das mais importes compilações de contos e fábulas hindus, a mais antiga e a mais conhecida é o Panchatantra.
Panchatantra foi escrito por volta de 200 aC por um sábio chamado Vishnu Sharma. Ele foi convidado pelo rei para ensinar alguns costumes importantes para seus três filhos. Assim, Vishnu Sharma ensinou-lhes as lições importantes da vida sob a forma de contos interessantes. A melhor parte sobre estes contos são os valores morais importantes que eles têm no final, que são essenciais para viver uma vida de conteúdo. Os contos Panchatantra são divididos em 5 partes, daí o nome Panchatantra (Panch significa cinco). Estes cinco manuais foram salvaguardados doravante como eles eram considerados importantes diretrizes para um futuro rei.³
  • Prosa:  o tratado erótico Kamasutra (século V), escrito por Vatsyayana Mallanga, também faz parte dos conjuntos de textos sagrados na Índia. Por outro lado, nas diversas obras inspiradas por Buda, baseou-se uma biografia árabe (sobre a história de Buda), Barlaam y Josafat, que, entre os séculos XI e XII, chegou ao Ocidente.

Página inicial do livro Barlaam y Josafat


Fontes:
¹ http://www.linguagemsanscrita.pro.br/apresentando.shtml
² http://super.abril.com.br/religiao/mahabharata-442662.shtml
³ http://www.iloveindia.com
http://www.hindunet.org/vedas/rigveda
http://www.indiaconsulatemg.org
http://www.ayurveda.com.br
Enciclopédia do Estudante: 07 Literatura Universal - 1. ed. - São Paulo: Moderna, 2008. 

Nenhum comentário :

Postar um comentário

A Tribo Participa

Get your own free Blogoversary button!

PUBLICIDADE


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Tribo Apoia

Top Comentaristas

Widget by: Code Box

Clique