Literatura e Animação Japonesa (PARTE 2)

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Quem vem contribuindo muito com a animação japonesa é o Studio Ghibli, criado por Hayao Miyazaki e Isao Takahata, que tinha como proposta ser "um vento que varesse a cabeça dos artistas". Muitas dessas animações tiveram como plano de fundo a literatura, costumes orientais, mitologia, religião, etc..
A mitologia em Myazaki é fortemente valorizada, relaciona-se com a questão da natureza e o meio ambiente (relacionando com o Xintoísmo - o homem não tem um pecado original; dentro de você tem uma deidade, só precisa ser cultivada); os animais (Xintoísmo e Budismo) e o Budismo (Deusa Kannon - Deusa da caridade) em Ponyo (filme do Studio Ghibli). 

A animação Laputa : O Castelo no Céu (do japonês Tenkû no shiro Rapyuta), realizada em 1986, é um filme que relaciona-se com à criação vinda dos céus. Isso porque na mitologia Japonesa, a família imperial do Japão e a nação de Yamato são descendentes de Ninigi, que veio do céu. Ninigi é o ancestral da tribo de Yamato, ou nação Japonesa. Além disso, na mitologia Japonesa, o céu é chamado Hara de Takama (Takama-ga-hara ou Takama-no-hara). Ninigi veio de lá e fundou a nação Japonesa. O filme também se inspira no autor Robert Louis Stevenson. O órfão fugindo dos piratas é o ponto inicial do livro A Ilha do Tesouro.

A animação mais conhecida do Studio Ghibli é, sem dúvida, A Viagem de Chihiro (do japonês Sen to Chihiro no kamikakushi). A animação teve como influência o livro A Misteriosa Cidade Além da Neblina (do japonês Kiri no mukou no fushigi na machi ou no inglês The Mysterious Town Behind the Fog), da escritora Sachiko Kachiwaba. Também recebe influência da Odisséia e do folclore japonês. A animação é envolta em um ambiente sobrenatual e fantástico, não é uma obra de terror, porém em diversos momentos somos levados para um mundo obscuro e desconhecido.


Livro Kiri no mukou no fushigi na machi

Baseado no livro homônimo de Diana Wynne Jones, surgiu a ideia de criar a animação O Castelo Animado (no japonês Hauru no ugoku shiro). No filme, o perfil dos personagens assim como alguns momentos da história foram alterados. O filme só segue a trama até a primeira terça parte do livro. Na história original também não aconteciam as cenas de guerra, estes momentos foram apenas criações de Miyazaki, que não poderia deixar de oferecer seu próprio estilo de criação e detalhes de seu universo. 


 Livro O Castelo Animado

Em Meu Vizinho Totoro (do japonês Tonari no Totoro), criado em 1988, tem como personagem principal Totoro, um espírito protetor da floresta e da natureza. Totoro ensina a viver em harmonia com a natureza; natureza e homem não são inimigos.  A natureza na cultura oriental é extremamente valiosa. Com o início da cultura do arroz, os rituais visavam agradar aos deuses. Existe a crença de que em cada grão de arroz mora sete deuses, por isso é importante comer tudo e não deixar nenhum grão.

Outra animação do Studio que se baseou na literatura foi Nausicaa do Vale dos Ventos (do japonês Kaze no tani no Naushika), pois foi retirado de um conto do folclore japonês A Princesa que Amava os Insetos. O tema principal abordado é o equilíbrio entre o homem e a natureza. 

Em O Serviço de Entregas Kiki (do japonês Majo no takkyûbin) o filme é baseado no livro infantil de Eiko Kadono, porém uma curiosidade é que a autora não gostou muito da adaptação feita por Hayao Miyazaki. O livro de Kadono se constituia em histórias pequenas sobre pessoas e incidentes durante as entregas de Kiki, não ocorria nada fundamentalmente dramático. Como um filme precisa de pontos de conflito, Miyazaki resolveu colocar mais ação e alguns momentos de tensão. A autora não gostou que Kiki perdesse seus poderes em um determinado momento da animação, mas antes do lançamento do filme ela foi convidada a visitar o Studio Ghibli e acabou consentindo com as mudanças.


Livro  Majo no takkyûbin

Além de todas as animação do Studio citadas acima, existem outras que também sofreram influências da literatura mundial, em As Aventuras de Panda e Seus Amigos (do japonês Panda kopanda amefuri sâkasu no maki) a personagem principal Mimiko sofreu grande influência de Pippi Meias Longas, heroína dos livros da escritora sueca Astrid Lindgreen (Miyazaki tentou adquirir os direitos do livro, porém seu pedido foi negado, ainda que observemos semelhanças entre as duas meninas) e em Ponyo (do japonês Gake no ue no Ponyo) a principal inspiração para Hiyazaki foi A Pequena Sereia de Hans Christian Andersen.




Pipi-meias-longas
Mimiko










Agradecimento especial à professora Janete Oliveira que ministrou duas palestras no evento "O Universo de Miyazaki/Otomo/Kon", na Caixa Cultural do Rio de Janeiro, de 05 à 08 de julho de 2011, bem como todos os organizadores e palestrantes do evento.



Nenhum comentário :

Postar um comentário

A Tribo Participa

Get your own free Blogoversary button!

PUBLICIDADE


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.


Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Tribo Apoia

Top Comentaristas

Widget by: Code Box

Clique